Véspera de prova

By  |  2 Comments

Oi gente,

 

Acho que hoje vai ser o meu desabafo-desabafo, sabe? Daqueles que você quer colocar tudo pra fora? Nossa, estou assim nesse exato momento… Situação: véspera de prova…

Horário: 00:06 de quarta-feira. Faltam pouquíssimos dias pra eu fazer uma prova. E estou num turbilhão de emoções que nem eu me entendo… Mas me lembro de ter sentido isso em vésperas de outras provas, apesar de que, nessa agora, estou com alguns probleminhas agravantes na minha caminhada…  😐

Estou feliz, porque estou conseguindo estudar; estou triste, porque ainda faltam muitos tópicos do edital. (Aliás, algum de vocês já fez uma prova com o edital todo estudado????)

Estou confiante, porque os assuntos que estudei, eu sei que irei me dar bem; não estou confiante, porque não consigo imaginar, de verdade, isso tudo acabando… E esse é um ponto que me intriga: porque não consigo me imaginar passando numa prova? Não consigo nem imaginar as etapas: sair da prova com uma sensação boa; corrigir o gabarito e ver uma ótima pontuação; sair a lista de aprovados e meu nome estar em uma boa colocação; eu ser nomeada; eu tomar posse… Isso, na minha cabeça e no meu coração, parece tão distante.

Mas não sei se é sempre assim… Nesse momento, em que estou MUITOOO cansada, mas ao mesmo tempo sem querer descansar para estudar – ou seja, completamente confusa nos sentimentos – não consigo me lembrar se quando estou calma, eu tenho crença em mim mesma… Mas também não sei se, de fato, não tenho crença em mim, porque, se eu não acreditasse em mim, pra que eu estaria insistindo tanto? Sei lá… Então eu tenho essa crença, mas não consigo senti-la? Que loucura!!!

Detalhe: já passei numa prova, onde não fui chamada pelo órgão. Fiz ótima pontuação;  só que foi tudo muito diferente… Fiz uma prova totalmente sem pretensão, em menos de 3h de duração (eu tinha 4:30h pra fazer a prova), e simplesmente, passei… Curioso, não?  😕

Hoje, meu marido me enviou a seguinte mensagem: A Resposta de Deus pode tardar um pouco, mas jamais deixará de ser dada. Esse tempo de espera serve para provar a fé, a perseverança e a confiança. É um teste de paciência e a oportunidade de desenvolver a força interior, a alegria e a coragem.

Pensei: Nossa!!! Isso foi feito para o dia de hoje!!! Imprimi e coloquei na minha mesa de estudo… E desde cedo que leio, releio, choro, sorrio… Será que estou ficando louca? :p

Enfim, véspera de prova me deixa assim: crazy!!! Mas tem algo que me move; tem algo que me empurra; tem algo que , insistentemente, me faz sorrir por dentro, apesar das lágrimas escorrerem por fora. E esse algo só pode ser Deus…

Não sei a religião de vocês, e nem vou dizer a minha, mas acho que até aqueles que acham que não creem em nada, na realidade, têm um porto seguro. E é esse porto seguro que nos segura, nessa batalha incessante que é a caminhada dos concursos.

Bom queridos, desculpem a seriedade da postagem… É que esse agora foi um verdadeiro desabafo!!! Quem sabe, daqui até o dia da prova, não tem mais? Será que vai ser na mesma linha desse, ou será mais feliz? Ou mais triste? Ou mais calmo? Ou mais desesperado? O que será de mim???? Hahahahahhahaha!! Veremos… Mandarei notícias!!!

 

Beijos molhados de lágrimas, com esperança que sei que existe, mas que não consigo senti-la com precisão!!!

2 Comments

  1. Vitória

    17 de julho de 2015 at 10:03

    Oiee!!

    Quando fico assim confusa como você, sempre dou uma lida em um texto que uma amiga muito querida me enviou. Me ajudou muito e sei que vai ajudar você e todos os outros que lerem o blog oportunamente, pois reacende a esperança. Além disso procuro agradecer a Deus por estes momentos, pelas pessoas que me ajudam e dão força. Sei que dias melhores virão para nós!!!

    Segue o texto:

    BORDADO

    O Prof. Damásio de Jesus é um dos maiores tratadistas do Direito Penal Brasileiro, com incontáveis publicações na área Processual.
    Em novembro de 2002 ele escreveu isso:
    – Quando eu era pequeno, minha mãe costurava muito. Eu me sentava no chão, brincando perto dela, e sempre lhe perguntava o que estava fazendo.

    Respondia que estava bordando.

    Todo dia era a mesma pergunta e a mesma resposta.

    Observava seu trabalho de uma posição abaixo de onde ela se encontrava sentada e repetia:

    – Mãe, o que a senhora está fazendo?

    Dizia-lhe que, de onde eu olhava, o que ela fazia me parecia muito estranho e confuso. Era um amontoado de nós, e fios de cores diferentes, compridos, curtos, uns grossos e outros finos. Eu não entendia nada. Ela sorria, olhava para baixo e gentilmente me explicava:

    – Filho, saia um pouco para brincar e quando terminar meu trabalho eu chamo você e o coloco sentado em meu colo. Deixarei que veja o trabalho da minha posição.

    Mas eu continuava a me perguntar lá de baixo:

    Por que ela usava alguns fios de cores escuras e outros claros?

    – Por que me pareciam tão desordenados e embaraçados?

    – Por que estavam cheios de pontas e nós?

    – Por que não tinham ainda uma forma definida?

    Por que demorava tanto para fazer aquilo?

    Um dia, quando eu estava brincando no quintal, ela me chamou:

    – Filho, venha aqui e sente em meu colo. Eu sentei no colo dela e me surpreendi ao ver o bordado. Não podia crer! Lá de baixo parecia tão confuso! E de cima vi uma paisagem maravilhosa!

    Então minha mãe me disse:

    – Filho, de baixo, parecia confuso e desordenado porque você não via que na parte de cima havia um belo desenho. Mas, agora, olhando o bordado da minha posição, você sabe o que eu estava fazendo.

    Muitas vezes, ao longo dos anos, tenho olhado para o céu e dito:

    – Pai, o que estás fazendo?

    Ele parece responder:

    – Estou bordando a sua vida, filho.

    E eu continuo perguntando:

    – Mas está tudo tão confuso… Pai, tudo em desordem. Há muitos nós, fatos ruins que não terminam e coisas boas que passam rápido.

    – O Pai parece me dizer: ‘Meu filho, ocupe-se com seu trabalho, descontraia-se, confie em Mim e…

    Eu farei o meu trabalho. Um dia, colocarei você em meu colo e então vai ver o plano da sua vida da minha posição.

    Muitas vezes não entendemos o que está acontecendo em nossas vidas.

    As coisas são confusas, não se encaixam e parece que nada dá certo.

    É que estamos vendo o avesso da vida!

    Do outro lado, Deus está bordando…

    • Diario de Concurseiro

      17 de julho de 2015 at 11:53

      Lindo Vitória! Simplesmente LINDO!!!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>