Motivação é realmente importante?

By  |  8 Comments

Oiii concurseiros e concurseiras!!

 

Hoje vim contar que consegui decifrar um enigma e consegui criar um outro enigma que não consigo decifrar!!  😕 😕

Bom, contextualizando….

Lembram que eu estava sem estudar, não é? Simplesmente, não conseguia. Meus livros atualizados haviam chegado na semana passada (ou retrasada?? :roll: ), e eu tinha achado que, quando eles chegassem, eu ia voltar a estudar toda feliz. Mas… Eles ficaram até dentro da caixa por uns dias… 😯

Aí, no sábado, aconteceu uma coisa ruim/boa. Tive uma pequena (hahahaha) discussão com meu marido. E nela, falamos sobre finanças, etc. E, em minha cabeça, sabe-se lá porquê, veio aquela coisa: “Ei!! Você não tem uma renda própria!! Você é sustentada pelo seu marido!! E tudo pode acabar a qualquer tempo! E aí? O que você vai fazer? Vai voltar pra casa da família com uma “mão na frente e outra atrás?””.

BUMMMM!!! Um clique dentro de mim!! 💡  💡

Vale salientar que, no momento da discussão, ele não falou nada disso pra mim!! Pelo contrário… Com relação à nossa vida financeira, eu tenho cartão de crédito conjunto com ele, temos contas conjuntas, ou seja, o salário que ele recebe é nosso mesmo… não tenho que pedir nada…

Talvez aí tenha sido o motivo do click. Está tudo muito cômodo por aqui… Salário bom, vida confortável… 😎

“But”… Eu sei que casamentos podem acabar (mesmo aqueles que todos pensam que nunca vão acabar, como o nosso…). Nada nesse mundo é impossível… E vai que ele morre?? (Deus é mais!! Bati na madeira aqui… 😕 ) Mas nada é impossível, gente. Essa comodidade pode acabar da noite pro dia…

Só sei que foi assim: briga, clique na cabeça, acaba briga, e eu digo: “vou estudar!!”. Foi IMEDIATO!!!! Sábado a tarde, estava eu sentada, estudando freneticamente, num ritmo absurdo pra quem estava parada… Anoiteceu, e eu lá, estudando, feliz, satisfeita, orgulhosa (talvez o orgulho bom e o orgulho ruim estivessem envolvidos ali naquele momento 😳 😳 ).

Domingo eu acordo, e??? “Bom dia, vou estudar!!” kkkkkkkkkkkk Simples assim!! E estudei o domingo um bom tempo, ainda feliz e “orgulhosa”.

E aí, ontem, antes de dormi, eu estava assistindo uns vídeos no YOUTUBE, e um deles me chamou atenção. Um rapaz, que foi aprovado em vários concursos, disse assim: “se você não tiver motivação, você não vai conseguir estudar, você não vai passar, você não vai conseguir adquirir um ritmo de estudo…”. E aí, parei pra raciocinar, e o primeiro enigma foi desvendado: a briga, o clique, foi a minha motivação pra eu estudar!! F-A-T-O!!

Mas aí vem o outro enigma: eu odeio vídeos motivacionais!!! Não consigo assistir… Acho “mi-mi-mi” (respeito aqueles que gostam, mas é o meu sentimento…). Mas aí, parei pra pensar nesses vídeos, e vi que na realidade eu tenho MEDO de assistir!! Sim, esse é o meu verdadeiro sentimento: medo!! Mas, medo de que? Porque?

Eis o enigma não decifrado… :roll:  :roll: Bom, cá estou eu… são 12:00, e hoje eu não consegui estudar NADA ainda… Pensei: “vou escrever no blog pra ver se, relembrando tudo, vem a motivação…”. Mas, até agora, nadinha de ânimo pra estudar… Já olhei os assuntos, pensei em estudar alguma coisa que eu gosto, mas nem isso…

Bom, é isso. Assim que lido com essa questão de motivação: sei que é importante, sei que é a chave, mas algo tem que acontecer? Ou será que aqueles vídeos motivacionais ajudam? 8-Ocomo vocês fazem pra manter a motivação sempre viva dentro de vocês?

Mandem dicas de vídeos… Quem sabe eu não consiga vencer esse medo louco, e eles sejam a chave de tudo?

E vocês, assistem? Qual a motivação de vocês?? Que tal deixar aqui nos comentários, em uma frase, a resposta para a seguinte pergunta: “Porque você quer passar num concurso público?”. Não precisam se identificar, tá? Podem colocar qualquer nome “fake”, que está valendo!!  😉

 

Beijos curiosos!!

 

PS: Olha!!! Até que deu uma vontadezinha de dar uma olhadinha na CLT… Hummmm 😆  😆

8 Comments

  1. Moreira

    6 de setembro de 2016 at 12:54

    Essa motivação que o cara do vídeo falou naõ tem a ver com palestras/vídeo motivacionais. Essas coisas podem até ajudar, mas são fogo de palha. 3 dias depois volta ao normal. A motivação tem que vir de dentro mesmo, da sua vida, da sua insatisfação e vontade de mudar. Você já matou a xarada.

    Estudo continuamente há 1 ano e meio e conheço várias pessoas que já começaram e pararam de estudar nesse meio tempo. A diferença entre mim e elas? Eu estou desempregado e não sou de família rica (tenho um suporte mas é mínimo). Elas ou estão trabalhando (e não é a falta de tempo que desmotiva, pois algumas trabalham 5 horas por dia e ainda assim não estudam), ou só estudam mas têm suporte financeiro farto da família (viajam, têm carro, apetrechos caros, etc).

    A minha motivação é reascendida diariamente quando sinto vontade de fazer algo e sou impedido por falta de dinheiro. Quando tenho que perder a tarde dentro do ônibus só pra ir ao médico. Quando vem uma banda que gosto aqui na minha cidade e o preço do ingresso é maior do que a quantia que tenho disponível pra gastar num mês inteiro. Quando eu fico olhando pra minha guitarra sem cordas encostada pq é caro consertar, e por aí vai.

    No caso de quem trabalha eu aconselharia, se possível, uma estratégia kamikase: juntar dinheiro pra sobreviver um tempo com o mínimo necessário e se demitir.
    No seu caso é mais difícil. Talvez não se permitir desfrutar livremente do suporte financeiro do marido. Reservar só pra coisas essenciais pra sobrevivência e estudo: Precisa de comprar um livro? ok. Um curso? ok. comida e etc: ok. Quer uma blusa/sapato/etc novos? Nada disso. anota na lista pós concurso. Celular quebrou? Nada de iPhone. Pegue o mais barato que tiver. Quer comer no outback? só depois do concurso. Por hora é mc donalds ou pão com mortadela… rsrs

    Mas o mais importante você já teve, que é esse clique. É só realimentá-lo agora. :)

    Responder
    • Diario de Concurseiro

      6 de setembro de 2016 at 23:06

      Olá Moreira!!

      É exatamente isso que acontece… Mas minha questão é: como alimentá-la?
      Não sou uma mulher de gastos, pelo contrário, somos caseiros, não somos de ficar comprando coisas… Sempre fomos assim..
      Infelizmente, comer Mc pra mim seria um prazer!! kkkkkkk
      Na realidade, vivo para os estudos e cuidar da casa e marido…

      Mas vamos que vamos!!

      Obrigado pelas palavras querido!!

      Responder
    • Diario de Concurseiro

      12 de setembro de 2016 at 17:23

      Esse negócio de reascender diariamente está tão difícil Moreira…. :(

      Responder
  2. Sampaio

    6 de setembro de 2016 at 17:14

    Sempre tive muitos altos e baixos no ritmo de estudos, exatamente por causa da ‘bipolaridade’ da motivação: em uma dia altíssima e, no dia seguinte, nenhuma. Em uma semana, estudos diários, nos três meses seguintes, nada de estudo.
    Vídeos motivacionais também me irritam. Surtem efeito por, no máximo, um ou dois dias. E aí, os próprios ‘gurus’, muitos atualmente fantasiados de ‘coaches’, já avisam: busquem a motivação diária dentro de vocês! Descubram por qual motivo vocês querem passar no concurso x.
    Aham! Tá bom.

    Li inúmeros livros sobre estratégias de estudos, muitos outros motivacionais. E os altos e baixos nos estudos sempre continuaram.

    Até que recentemente li um texto no site Papo de Homem que, de certa forma, desmistificou a questão da motivação, para mim. Melhor ainda, fez o que eu sempre quis fazer: mandou a tal da motivação para aquele lugar!

    O título do texto é: “Foda-se a motivação, o que você precisa é disciplina”.
    Recomendo a leitura! http://papodehomem.com.br/foda-se-a-motivacao-o-que-voce-precisa-e-disciplina/

    Abraços e boa sorte!

    Responder
    • Diario de Concurseiro

      6 de setembro de 2016 at 23:00

      Olá Sampaio!!

      Opa!! Adorei a indicação já pelo título!! HAUAHAHAHAH Vou ver e te digo o que achei aqui, tá?

      Obrigado querido!!

      Responder
      • Sampaio

        6 de setembro de 2016 at 23:48

        Oi, na verdade, sou meninA!
        Leia o artigo sim. Tenho certeza de que vai gostar.
        Pra mim, sempre foi muito angustiante sempre me preocupar com ela, a porcaria da motivação. Ela é muito fugaz! E a angústia por sempre ter de alimentar a motivação, acaba gerando angústias secundárias: autocobrança, autopunição (nem que seja emocional), pode ser confundida com autossabotagem e pode levar à perda da autoestima (nova ortografia bombando aqui nesse parágrafo!).
        Acho que, por isso tudo gostei tanto do insight do artigo que indiquei, pois ele simplesmente manda um f…-se para a motivação.
        Depois que passei a pôr em prática esse novo modo de agir, percebi que, realmente, não é motivação que vem antes da disciplina; mas sim o contrário!
        A coisa começa a acontecer, quando você simplesmente começa a fazer, sem pensar se está a fim, se é o melhor momento, se você está no melhor humor etc, etc. Você simplesmente tem que olhar para o seu planejamento semanal de estudos, pegar o material e começar a estudar.
        Com o fazer, a motivação aparece. E quanto mais você faz, mais motivação você tem. E quanto motivação você tiver, mais fácil será manter a disciplina. Mas nunca esquecendo que você até pode sorrir e ficar feliz com a motivação que apareceu, mas tem que tratá-la com desdém, sempre! Não pode valorizá-la, pois aí ela cresce, acha que é importante e começa a ficar abusada e a querer ocupar espaço na sua vida.
        Uma boa (e antiga) técnica para manter a disciplina, ou seja, estudar o que tem que ser estudado, todos os dias do planejamento, sem procrastinar, é usar o que hoje as pessoas têm chamado de gameficação, ou seja, tratar certos aspectos da sua vida que precisam ser cumpridos em determinado tempo, como se fossem jogos.
        Jogue no Google e verá que há vários estudos sérios sobre isso e já tem muita gente até ganhando dinheiro com negócios baseados nessa metodologia.
        Trocando em miúdos, para um projeto “passar em concurso público”, seria, resumidamente, definir qual o concurso, qual o cargo, a previsão para a data da prova, a quantidade de horas disponíveis para os estudos, separar o material, organizar as matérias a serem estudadas e respectivos tópicos e, com base nisso, criar METAS viáveis, possíveis de serem concretizadas.
        Aqui, o segredo é criar micro-metas (diárias) e metas semanais. Metas maiores que isso acabam por botar tudo a perder, ainda mais com pessoas procrastinadoras (como eu, por exemplo).
        E aí, parece ser até uma coisa tola, até infantil, mas funciona! A cada vez que você cumprir a micro-meta de estudo, o ato de ir até o planejamento e “ticar” (ou riscar) aquela linha (ou quadrado ou seja lá o que quer que sinalize o cumprimento da meta) dá um prazer tão grande, uma satisfação, um orgulho de si mesma tão singular, que o seu cérebro, o seu corpo quer sentir novamente aquelas boas sensações.
        É essa boa memória que fica armazenada no seu cérebro, que o faz te ajudar a, no dia seguinte, não ficar de mimimi quando se deparar com o novo tópico a ser enfrentado, a não desistir quando der de cara com um tema mais difícil, a encontrar soluções (e não supervalorizando obstáculos) para os desafios, a ser mais pragmática.
        O seu cérebro acaba te ajudando para que você dê a ele aquele prazerzinho de “ticar” ou riscar a linha do ponto estudado novamente.
        Só que esse ciclo só começa quando você simplesmente começa!
        Às vezes – e eu sei bem disso – é incrivelmente começar!
        Você olha para o material, tem tempo disponível, sabe que tem que estudar e não começa.
        Eu já cheguei a cheirar meus livros novos – adoro cheiro de livro novo – para ver se a motivação vinha! Em vão!
        Depois que eu mandei a motivação se f…, percebi que, muitas vezes, a resistência inicial ao estudo passa após uns cinco ou dez minutos de leitura (ou videoaula, ou resolução de questões etc…). Simples assim!
        Sem pensar ou precisar da motivação ou de qualquer blablabla de autonomeados coaches e seus mantras chatos, usados para nos arrancar dinheiro.
        Creio que você tenha acesso ao meu e-mail. Qualquer coisa, pode me escrever.
        Beijocas! 😉

        Responder
  3. Renata

    6 de setembro de 2016 at 17:54

    Quero passar num concurso porque não aguento mais o lugar que trabalho. Trabalho por necessidade e não quero mais engolir sapos de pessoas que se acham. Uma motivação com sentimentos negativos assim como a tua briga com o marido, mas está valendo…rsrsrsrs.

    Responder
    • Diario de Concurseiro

      6 de setembro de 2016 at 23:01

      Oi Renata!!

      Kkkkkkkk! Com certeza está valendo sim!!! E vamos que vamos!!!

      Beijos querida!!

      Responder

Leave a Reply

Cancelar resposta