Adeus motivação; agora quero disciplina!!

By  |  9 Comments

Oiii concurseiros e concurseiras!!!

 

Lembram do último post, onde eu falei sobre a motivação para estudar? Resumindo: eu não estava conseguindo estudar, briguei com meu marido (por outro motivo), onde nessa briga tocamos na questão financeira, o que mexeu com meu ego (afinal, atualmente sou sustentada por ele, que é recém nomeado), o que me deu uma vontade SURREAL de estudar. Pasmem: depois de tempos sem estudar, passei um final de semana inteiro em cima dos livros!! 😯

Só que, dois dias depois, lá estava eu, desanimada, sem vontade nenhuma de estudar… Sabe o que é você olhar no seu edital esquematizado todas as matérias e não se ver estudando nenhum tópico daquele? Essa sou eu…

Mas aí uma querida leitora (SAMPAIO) me indicou um texto, cujo título  é “Foda-se a motivação, o que você precisa é disciplina”. UAU!! Já me impactei com o título!! 😀  😀 

Pois bem, vou aqui colocar trechos do texto, e fazer pequenos comentários que se adequam com a minha realidade como concurseira, tá? Ah!! A fonte do texto está no final, ok? 😉 Vamos lá!!

“A motivação, falando de modo geral, opera sob a presunção errônea de que é necessário um estado mental ou emocional particular para que uma tarefa seja realizada.
Isso está completamente invertido.
A disciplina, em vez disso, separa o funcionamento externo dos sentimentos e mudanças de humor, e assim ironicamente, ao melhorar as emoções de modo consistente, evita o problema”.

Bom gente, de fato: eu sempre espero estar bem para estudar… E eu raramente estou bem. Mas eu não estou mal… Apenas não estou “com vontade” de estudar… Não tenho ânimo para estudar; não sinto empolgação ao me imaginar sentando e estudando; não me sinto feliz em pensar que vou sentar para estudar.

No dia da briga, eu fiquei em ÊXTASE para estudar: muita vontade, empolgação, ansiedade, alegria, orgulho (do bom e do mal)… E de fato, bastou eu estar motivada para eu ter um excelente rendimento nos estudos…

Mas olha a lógica que o autor utilizou:

“Em resumo, a motivação é tentar encontrar aquela vontade de fazer as coisas. Disciplina é fazer mesmo se não se tem vontade.
Você se sente bem depois”.

De fato, quando eu estudava numa “sala de estudos”, onde todos os dias eu necessariamente ia para lá estudar, com vontade ou sem vontade, sempre no final, por mais que eu produzisse pouco, eu me sentia bem: orgulhosa de mim, sensação de dever cumprido, me permitia me divertir depois dos estudos…

E aí o autor chega ao ápice nessa frase:

“Quem espera até ter vontade de fazer as coisas para fazê-las, está fodido. É exatamente disso que surge o temido círculo vicioso de procrastinação”.

De fatooooo!!! Estou fudida diariamente, esperando a #*@# da vontade surgir, para aí eu começar a estudar!!! (desculpem o desabafo, mas isso é ridículo!!!!).

“A essência de correr atrás da motivação é a insistência na fantasia infantil de que só devemos fazer as coisas que estamos a fim de fazer. O problema então se coloca da seguinte forma: “Como eu chego ao ponto de estar a fim de fazer o que eu racionalmente decidi fazer?” Isso é ruim demais”.

Sabem aquela coisa de menino pequeno: “não quero comer!!”, aí a mãe vai e diz: “deixa pra ele comer quando estiver com vontade…”. É bem por aí!!! Isso é infantil!! Isso é imaturo!!!

Outra coisa: parando para pensar, parece que isso só acontece com os estudos (pelo menos comigo). Porque eu tenho que lavar os pratos todos os dias, cozinhar, arrumar a casa, levantar cedo, e nada disso eu faço porque estou morrendo de vontade de fazer… Mas eu faço todos os dias!!! E sem estar a fim de fazer!!

E aí vem os riscos dessa forma de pensar:

“Não considero episódios autoinfligidos de hipomania os melhores impulsionadores da atividade humana. É inevitável que ocorra algum tipo de compensação tímica com episódios de depressão, uma vez que o cérebro humano não tolera o abuso por tempo indeterminado. Estão presentes travas e válvulas de segurança. Ocorrem ressacas hormonais”.

Pois é, como fica a cabeça de nós, pessoas que ficamos na dependência de estar a fim de estudar para fazê-lo? E se não estivermos a fim quase nunca? E o tamanho da frustração? E o cortisol, vai para onde?

E ainda tem outro porém, que foi justamente o que eu questionei com nosso seguidor Moreira:

“Há outro problema prático com a motivação. Tem validade restrita, precisa ser constantemente revigorada”.

Como que se mantém essa tal de motivação revigorada, gente? Dois dias depois da briga, já estava tudo às mil maravilhas, e minha motivação estava ZERO!!! Será que eu teria que brigar de 2 em 2 dias com meu amado marido?? kkkkkkkkkkkkkk

Bom, conclusão: eu fico com a disciplina!!!

“O ponto é cortar a ligação entre os sentimentos e as ações, e fazer a coisa de qualquer jeito. Você vai se sentir bem, energético e excitado depois de agir”.

E aí, vem a pergunta final: como que faz pra construir uma disciplina?

 “Como se cultiva disciplina? Construindo hábitos – começando com coisas bem pequenas, com que se consegue lidar, coisas até mesmo microscópicas, e assim ganhando impulso, reinveste-se nela em mudanças cada vez maiores na rotina, dessa forma construindo um círculo virtuoso de retroalimentação positiva”.

Acho que no nosso caso, entram aí as tabelas, cronogramas, marcar “X” cada vez que cumprir, colocar em um quadro tudo o que você TEM que fazer naquele dia, essas coisas…

Então, como não quero mais saber de motivação, e sim só de disciplina, mandem dicas de como construir uma disciplina nos estudos. Quais artifícios vocês, que trabalham com a disciplina, utilizam?

Fica aí a minha reflexão, e esperança de que agora as coisas vão mudar.

PS: acabei de fazer uma nova reflexão. Quando entrei na academia, entrei porque estava gorda, sedentária, doente e TINHA que malhar. Me FORÇAVA a ir malhar todos os dias. Hoje, eu adoroooo malhar, porque vi os resultados que um exercício físico é capaz de fazer com o corpo e a mente de uma pessoa. Será que vai ser assim com os estudos? Depois que você se disciplinar e criar a rotina, você acaba QUERENDO estudar? :roll:  :roll:

 

Beijos disciplinados!!!

 

FONTE DO TEXTO: http://papodehomem.com.br/foda-se-a-motivacao-o-que-voce-precisa-e-disciplina/

 

 

9 Comments

  1. Sampaio

    14 de setembro de 2016 at 01:36

    Cara autora do blog, aqui estou, novamente!
    Lembrei que já dei vários pitacos no seu blog a respeito das cotas, sobretudo no que diz respeito aos pardos, e agora cá estou dando pitacos sobre motivação e disciplina.
    Confesso que fiquei surpresa quando abri meu e-mail e deparei com seu novo post!
    Que bom que o texto que te indiquei te impactou, assim como a mim!
    Sobre a sua última reflexão, comparando a aplicação da disciplina da malhação à disciplina nos estudos, já posso te adiantar que acontece assim mesmo, como você mencionou. E falo isso por experiência própria.
    A vida inteira, sempre que me ocorria frequentar uma academia, eu pensava sobre o ambiente que iria encontrar lá. E imaginava um cenário bem desestimulador: eu, acima do peso, diante de pessoas saradas, gostosas, sedutoras até das paredes e aparelhos de musculação e tiradoras de selfie na frente do espelho.
    Só de imaginar, eu já desistia e ficava desestimulada a me matricular.
    Até que um dia, resolvi tomar vergonha na cara e cumprir uma meta que impus a mim mesma: aprender a nadar depois de adulta.
    Tive que insistir muito até conseguir fazer a virada do corpo para dar a segunda (e seguintes) braçada do crown. Muitos micos e insistência minha (e da professora) depois, consegui meu intento.
    Quando comecei a natação, estava acima do peso e, rapidamente, comecei a emagrecer. E também comecei a me alimentar melhor. E continuei a perder massa gorda e a ganhar massa muscular. E a perder peso.
    [Neste ponto da história, já podemos fazer uma analogia dessa situação com os estudos: você simplesmente sai da inércia, começa a estudar, começa a entender, começa a aumentar gradativamente a concentração, começa a gostar de estudar, começa a fazer links mentais da matéria D com a matéria F, começa a se orgulhar de si e não quer mais parar.]
    Voltando à historinha, como eu já estava frequentando a academia – para fazer natação – resolvi vencer minha impaciência para pessoas vaidosas e exibidas nível ultra big blaster e me matricular na musculação.
    Realmente, conheci pessoas insuportavelmente exibidas. Lembro-me de um cara que levantava peso ao mesmo tempo em que urrava e se olhava no espelho! Nitidamente ele queria se comer e só não o fazia porque era impossível. Eu olhava aquilo e desdenhava por dentro, sentindo pena daquela pessoa.
    Mas, ao mesmo tempo em que tudo isso acontecia, eu comecei a notar que, depois de, no máximo, duas semanas, eu já ia para a academia sob sol ou sob chuva, com ou sem vontade, com ou sem cólica, com ou sem um monte de coisas para fazer, com ou sem sono, com ou sem gente-babaca-exibicionista na minha frente, sem parar para pensar se ia ou não.
    Eu via minha melhora, percebia meu corpo emagrecendo e ganhando massa muscular, minha capacidade respiratória aumentando, minha dopamina ótima e aí, percebi que eu simplesmente não “via”, não “enxergava” mais os possíveis fatores negativos.
    [Chegamos a outro momento em que é possível fazer uma comparação com os estudos. Pode fazê-la aí na sua cabeça… 😉 ]
    Eu só queria mais e mais. Não lembrava que iria encontrar os espíritos obcecados em selfie na academia. Lembrava-me das pessoas legais com as quais tinha feito amizade, lembrava que eu já estava levantando muitos e muitos quilos com as pernas e muitos com os braços, que a sensação durante e depois da malhação era muito boa e que eu já tinha investido bastante para chegar naquele patamar e não queria perder aquele ritmo. Enfim, estava viciada em malhar. E, enquanto eu estava na academia, seja nadando, seja fazendo musculação, minha cabeça estava apenas lá, em cada movimento que eu fazia.
    [Adivinha? Mais comparações podem ser feitas com os estudos!]
    Depois que eu saía da academia, minha cabeça estava livre para o que quer que eu fosse fazer. Já tinha cumprido minha meta do dia.
    [Quando cumprimos nossa meta diária de estudos, sabemos que podemos nos presentear e que a mente estará livre de culpas, pois, naquele dia, fomos fodásticas e provamos que conseguimos fazer aquilo a que nos propusemos!]
    Depois de muito sofrer, como já falei antes, buscando encontrar motivação dentro e fora de mim, para poder estudar diariamente, e de deparar com o texto que te indiquei, tudo passou a fazer sentido pra mim. Foi inevitável fazer comparação com a atividade física. E eu também me perguntava: será que vai ser como é em relação à malhação, que a gente pratica “no automático”, sem pensar se está a fim ou não e que, quando acaba, a gente fica feliz e orgulhosa por ter completado?
    Pois bem. Eu te digo que é assim mesmo.
    Como eu já “falei” muito, tanto no seu penúltimo post, como neste de agora, vou direto à parte prática.

    1) ORGANIZAÇÃO:

    A minha primeira dica é que, depois de definir qual é o concurso e cargo almejados, e de listar quais matérias e os respectivos conteúdos a serem estudados, lembre-se de que você está dando um f…-se para a motivação. Portanto, esqueça o que deseja fazer depois da posse. Esqueça as viagens, o carro que quer comprar, simplesmente esqueça.
    Apaixone-se pelo PROCESSO, pelo dia a dia, pelo fazer. Simples assim. Igualzinho como acontece na academia, quando a gente curte cada movimento, o momento em que desce lentamente o braço com aqueles dez quilos na munheca, sentindo o músculo arder, mas sabendo que aquilo é necessário, curtindo cada dorzinha. Aquele corpão sarado que a gente inevitavelmente acaba conquistando, é apenas CONSEQUÊNCIA de todos aqueles esforços diários, de todas aquelas nossas idas à academia, sem parar para pensar se estava no melhor momento ou não. Quando a gente via, já estava toda “montada” para ir à academia, quando piscava, já estava lá, com o fone de ouvido, fazendo as abdominais.
    [Quando você foca no PROCESSO, quando vir, já fez as tarefas de casa mais rapidamente, já desligou o celular – ou o colocou no vibracall -, já está sentada estudando.]
    Quando você foca no PROCESSO, a aprovação chegará. Será uma consequência “inevitável”!

    Mas, insisto: lembre-se das micro-metas. Persiga as micro-metas. Sua dopamina se viciará em riscar um “X” sobre os conteúdos estudados naquele dia.
    Se começar a parar para pensar na publicação do Diário Oficial, a roupa que vai usar na posse, qual o corte, qual a maquiagem, sapato, onde será a festa etc, etc, corre o grande risco de se perder no que é importante: as micro-metas. Corre o risco de começar a devanear e parar de fazer o que estava fazendo – estudando – para pensar em algo que será conquistado, DESDE QUE você não pare de fazer o que está fazendo: estudando.
    Module o pensamento para as micro-metas e passe a pensar, no máximo, em semanas.
    Como já falei, sugiro que você tente lidar com as micro-metas, ou seja, metas diárias e, no máximo, metas semanais.

    2) AUTOCONHECIMENTO:

    Vá estudando e aproveite para ir se conhecendo cada vez mais. O ideal é que você use os ciclos de estudo e não aqueles quadros em que na segunda-feira fica estabelecido que deverá estudar a matéria A, a B e a C e assim sucessivamente. Se acontecer alguma coisa – qualquer imprevisto – e você não cumprir aquele cronograma, f…eu! E aí só verá novamente aquela (ou aquelas matérias na segunda-feira seguinte).
    O ideal é você verificar quanto tempo dispõe em cada dia da semana e, num papel à parte, enumere a sequência de matérias que serão estudadas.
    Dessa forma, ao invés de listar no quadro (controle de estudos) que na segunda-feira você estudará as matérias A, B e C, você deverá escrever, por exemplo:
    – 08:00 às 9:00: estudo
    – 09:00 às 09:30: lavar roupa
    – 09:30 às 10:30: estudo
    – 10:30 às 11:00: ir ao mercado
    – 11:00 às 12:00: estudo
    – 12:00 às 13:00: fazer almoço / almoçar

    Obs.: estipule na semana um tempo de lazer. Ainda que você o tenha agendado para domingo, mas resolva tirar sua folga no sábado, não tem problema. O importante é prever esse tempo de lazer. Se você não tirar um dia (ou um período do dia) durante a semana para sua folga, sua produtividade irá cair e isso pode colocar sua disciplina em risco.
    Voltando ao exemplo de horário acima, na hora de estudar, você olharia no seu ciclo de estudos qual será a matéria da vez. Dessa forma, você evita uma coisa que acontece frequentemente, ainda mais com pessoas com tendência à procrastinação: a decepção, que leva à tristeza, que leva à autossabotagem, que leva a parar tudo, a jogar tudo pro alto e a voltar ao ponto da inércia e procrastinação.
    Ou seja, com o ciclo de estudos, não deu para estudar as três ou quatro ou cinco horas a que você se propôs estudar, não tem problema. Você estuda o que der para estudar naquele dia, na sequência de matérias que você listou num papel à parte e, no dia seguinte, continua seguindo o ciclo. Dessa forma, não fica sem ver nenhuma matéria por um longo período de tempo. E não se frustra.
    Pessoas procrastinadoras têm grande tendência a buscar erros, falhas, decepções como desculpas para jogarem o que estão fazendo para o alto e voltarem a procrastinar.
    Se você for uma pessoa com tendência a procrastinar, seja esperta, seja mais esperta que você mesma: saiba que percalços aparecerão no caminho, mas não deixe as frustrações te paralisarem.

    3) TEMPO DE ESTUDO:

    É importante se observar, se conhecer, para perceber por quantos minutos (sim, é bom pensar em minutos e não em horas) você consegue estudar com BOA concentração. Pode ser que, no início, só consiga vinte ou trinta minutos. Não importa. Se conseguir se concentrar por apenas vinte ou trinta minutos, estude durante esse tempo. Quando começar a viajar, pare! Levante, alongue o corpo, beba água, anote o que estudou, veja se você já tem exercícios para fazer sobre esse assunto. Feito o intervalo, volte aos estudos. Com o tempo, você verá que naturalmente conseguirá se concentrar por mais tempo, principalmente nas matérias com as quais tiver mais afinidade.
    Esse autoconhecimento vai te ajudar a fazer possíveis ajustes no plano de estudos. Por exemplo, você pode perceber que ao estudar a matéria A você rapidamente se concentra e consegue se manter assim por uma hora e meia ou até duas horas. Já com a matéria B você tem que se esforçar mais para se concentrar e consegue manter-se assim por uns cinquenta minutos.
    Assim que conseguir se disciplinar, você conseguirá propor desafios mentais para você mesma e, aos poucos, aquela matéria que você só conseguia ler por trinta minutos, conseguirá estudar por cinquenta minutos.
    Siga sem ansiedade, dia após dia, tijolinho após tijolinho. Sentiu sono, começou a viajar, pare. Dê o intervalo, MAS VOLTE! Lembre que você tem que riscar o “X” sobre os pontos que estudou naquele dia e que seu cérebro, seu corpo a-do-ram quando você faz isso.

    4) MODELOS DE PLANO DE ESTUDOS:

    Não sei para qual concurso você está estudando mas, apenas como exemplo, vou colar aqui um link do Estratégia Concursos, com três sugestões de planos de estudos para o TRE-SP. Neles você poderá observar que para cada quadradinho de estudo (cada matéria, dentro de cada ciclo) o professor sugere que a pessoa estude durante 50 minutos.
    Se achar que será bom se guiar por um modelo desses, use o bom senso. Se estiver estudando uma matéria na qual já está num ótimo nível de concentração, e os estudos estão rendendo, não tem por que parar só porque terminou o tempo de 50 minutos, certo?
    Já reparou que a nossa concentração se assemelha a um carro parado? Quando sentamos para estudar, “estamos na marcha zero” e leva um tempinho para que cheguemos à quinta marcha. Estando na quinta marcha (num ótimo nível de concentração), e estudando um ponto mais complicado, é bom seguir e aproveitar esse nível de concentração, não acha?

    5) AUTOCONFIANÇA:

    Outra dica: quando chegar a hora de estudar aquela matéria temida, seja ousada. Diga para você mesma que irá dominar aquela p%$#@, que você é foda, que é capaz de aprender qualquer coisa que se dedique a aprender e ponto final!
    Separe o material mais didático que tiver (dependendo da matéria, pode ser recomendável videoaula, principalmente se for uma matéria de Exatas) e comece. Simplesmente comece. Pode ser que seja difícil. Insista! Pode ser que dê sono! Insista! Pode ser que não seja tão difícil como você imaginou que seria. Surpreenda-se, dê um risinho vaidoso para você mesma e regozije, enquanto estuda. E pense, com orgulho: eu sou foda!
    E continue à caça de riscar o “X” sobre os pontos estudados. Em pouco tempo você perceberá sua autoestima nas alturas e notará que, na verdade, cada vez que risca um “X”, está fazendo um agrado a você mesma.
    Não tem nada de mágico nisso tudo. Nós somos pura química, corpos cheios de hormônios. Nós, mulheres, sabemos como ninguém como os hormônios comandam nossos corpos! Esses hormônios são comandados por nosso cérebro e este, por sua vez, gosta de rotinas. Dê a rotina do estudo a ele, que receberá de volta a ajuda para você manter esse ciclo vicioso.

    6) TECNOLOGIA

    6.1) CONTROLE DE ESTUDOS:
    Hoje em dia temos a grande sorte de ter vários bons aplicativos para nos ajudar com os assuntos concurseiros.
    O primeiro que vou te indicar é simplesmente maravilhoso: gratuito, roda em iOS e em Android e, o melhor, também roda na web. E é sincronizável, ou seja, o que você inseriu quando usava o aplicativo no celular, pode ser visto e editado quando você acessar sua conta no computador.
    Trata-se do APROVADO: http://www.aprovadoapp.com.br/
    Nele você pode controlar o que estudou, quando estudou e os pontos a serem estudados.
    Vale muito a pena “perder” uma manhã (ou até uma manhã e uma tarde) digitando todas as matérias e seus respectivos tópicos a serem estudados dentro do Aprovado.
    Sugiro que você liste os pontos a serem estudados baseando-se em algum edital que tenha a ver com o cargo/órgão que escolheu.
    Feito esse primeiro trabalho, cada vez que for estudar, ligue o cronômetro no Aprovado. Você notará que começará a ficar viciada em deixar seus gráficos demonstrativos de estudo os mais altos possíveis.

    6.2) REDES SOCIAIS:
    Se tiver apenas uma conta no facebook, crie outra apenas voltada para os assuntos concurseiros. Nesta conta, siga apenas professores e perfis voltados para estudos e concursos. E, se for possível, passe a visitar cada vez menos sua conta pessoal ou crie limite de acesso para ela (exemplo: cinco ou dez minutos por dia para fuxicar seu facebook pessoal).

    Siga perfis concurseiros no Instagram. Há dicas boas nessa rede. Mas cuide para não ficar babando sobre os materiais lindos, fofos e irresistíveis de papelaria que o povo costuma postar por lá! Deixe para fuxicar os perfis concurseiros no Instagram na hora em que estiver na fila do banco, na fila do mercado, enquanto faz a unha na manicure, ou seja, em momentos em que você não terá muito tempo para se concentrar e estudar alguma coisa, mas nos quais seria bom manter o pensamento envolvido no mundo dos estudos, nem que seja vendo fotos de outros concurseiros em seus momentos “ostentação” de estudos ou “ostentação” de produtos de papelaria! 😛

    6.3) YOUTUBE:
    Comece a se inscrever em canais de professores no Youtube e, quando estiver colocando a roupa para lavar ou lavando a louça, coloque o celular do seu lado e dê um play numa dessas aulas. Há EXCELENTES canais no Youtube, com aulas maravilhosas, de graça!
    Um exemplo é o canal da Editora Atualizar: https://www.youtube.com/user/editoraatualizar que já conta com aulas de Direito Constitucional, Administrativo, Previdenciário, Português, Informática, Administração Pública, Lei 8.112 e até Contabilidade! Detalhe: as aulas são ótimas!
    Tenha sempre em mente a palavra FLEXIBILIDADE! Não está bem naquele momento? Está com cólica? Está com dor de cabeça? Sem neuras. Lembre da flexibilidade. Continue a caminhada e compense mais adiante. Mas não pare. Isso é muito diferente de não estudar porque simplesmente não está a fim de estudar. Lembre que você já se viciou em cumprir as metas diárias, sua dopamina pula de alegria com isso! Sua dopamina também pula de alegria quando você faz exercícios. Mesmo quando você os erra, pois assim pode identificar o que ainda não sabe ou precisa ser melhorado.
    Às vezes estou lavando a louça e coloco uma aula no Youtube para rodar, mas, por algum motivo, não estou conseguindo acompanhar o raciocínio. Então, coloco em algum canal com dicas de produtividade para os estudos. Veja bem, dicas de PRODUTIVIDADE. Se começar a falar que eu tenho que procurar diariamente minha motivação, já era. Paro de assistir, clico no “não gostei” e me descadastro do canal!
    Há vários bons canais com dicas desse tipo. Um deles é do próprio curso Estratégia, do Ponto dos Concursos e de alguns professores. Cuidado! Ouça e perceba se o que está sendo dito serve para VOCÊ! Há um servidor da Câmara dos Deputados e também coach, que tem um canal ótimo no Youtube, chamado Fernando Mesquita (http://blogdofernandomesquita.com.br/ e https://www.youtube.com/user/fernandofmg) e que afirma categoricamente não recomendar videoaula! Cara, isso pode ser uma verdade para ele. Comigo, se preciso estudar matemática ou raciocínio lógico, por exemplo, PRECISO das videoaula!
    Portanto, veja o que funciona PRA VOCÊ. E o que pode funcionar bem com uma matéria, talvez não funcione para outra. Experimente. Vá aprendendo qual é a melhor maneira de fazer, fazendo.

    6.4) QUESTÕES DE CONCURSOS
    Assine o site Questões de Concursos ou o Tecconcursos ou o Casa das Questões. O QC e o Casa das Questões têm aplicativos para celular e o Tecconcursos conta com uma plataforma ótima para celular e dá para resolver questões em qualquer lugar.
    Sobrou um tempo, qualquer tempo? Resolva questões.

    6.5) REVISÕES E A AJUDA DA TECNOLOGIA:
    Já existe um aplicativo voltado exclusivamente para te ajudar no controle das revisões. Veja se é útil para você. Se não for, não vire escrava dele.
    Fazendo, estudando, persistindo, você encontrará o que melhor funciona pra você e o que não funciona. Não funcionou? Deixe pra lá.
    O nome dele é PARTIU REVISAR: https://play.google.com/store/apps/details?id=info.andersonsoares.partiurevisar&hl=pt_BR
    Acho que tem versão para iPhone.

    Ainda na área tecnológica, use o gravador do seu celular para gravar breves resumos (resumos feitos POR VOCÊ) e estudar enquanto se desloca, lava a louça etc, etc…

    7) IMPORTANTE:
    Todos os dias, independentemente se você foi foda, pois cumpriu completamente sua meta; se foi mais ou menos foda, pois cumpriu apenas uma parte; ou se não conseguiu estudar nada, ANTES DE DORMIR, anote em qualquer lugar o que você vai estudar no dia seguinte e deixe em local visível, de preferência em cima da sua mesa de estudos.
    Feito isso, pegue os materiais correspondentes, já dê uma rápida olhada no índice, no número de páginas e os deixe em cima da sua mesa. Se o material estiver em meio digital, já verifique em qual HD está, em qual pasta está, quantas páginas de pdf mais ou menos compreendem aquele tópico ou, então, quantas videoaula abarcam a matéria e quanto tempo cada uma tem.
    Verifique se você já tem acesso a algum tipo de exercício sobre aqueles temas. Se já os tiver, deixe-os à mão, seja física ou digitalmente.
    Lembre-se: seu cérebro não gosta de surpresas. Faça isso antes de dormir para já dar ao seu cérebro um panorama sobre o dia seguinte. Seria como se na quinta-feira você recebesse a pauta da reunião do seu escritório que vai acontecer na sexta-feira. Mesmo que você não tenha consciência, seu cérebro já começará a trabalhar para você, só com base naquela rápida leitura do índice, provavelmente formulando perguntas.
    E isso também estimula sua curiosidade e a vontade de “matar” o conteúdo no dia seguinte. Afinal, você é foda!

    8) CONCLUSÃO:
    Se você estiver se apaixonando pela rotina, pelo dia a dia, por “levantar cada pesinho” diariamente, curtindo cada meta cumprida, ficará feliz e orgulhosa de si mesma e se sentirá leve para fazer outra coisa importante: reservar um tempinho para você mesma durante a semana. Tempo esse que você gastará com quem quiser, do jeito que quiser. E, nessa hora, não sentirá nenhuma culpa e aproveitará cada minuto, pois sabe que merece!
    Qualquer coisa, me manda e-mail.
    Beijocas e ótimos estudos!

    Responder
    • Sampaio

      14 de setembro de 2016 at 01:38

      Faltou o link para os modelos de planos de estudos!

      TRE-SP: https://www.estrategiaconcursos.com.br/blog/plano-de-estudos-tre-sp/

      😉

      Responder
      • Diario de Concurseiro

        14 de setembro de 2016 at 14:49

        Não curti muito não!! Circuito muito fechado, com 0 de flexibilidade… Eu tenho que ter flexibilidade, porque acredite, até os horários que meu marido vai trabalhar ele só fica sabendo no dia anterior…. então… :/ Tem dia que malho de manhã, tem dia que de tarde, tem dias que de noite… essas coisas..

        Responder
        • Sampaio

          14 de setembro de 2016 at 15:00

          Ah! Pra mim também tem que rolar flexibilidade! Sempre! Por isso mesmo abandonei aqueles quadros de horário nos quais a pessoa coloca qual matéria vai estudar em qual dia. Funcionava por, no máximo, uns três dias comigo.
          Aí, como tenho tendência a procrastinar, bastava uma coisinha sair errado, que eu já jogava aquilo tudo pro alto e ficava semaaaaaaanas sem estudar.
          Eu estou me guiando por esse planejamento para Analista da área judiciária (sou formada em Direito), mas usando-o COM FLEXIBILIDADE. Há momentos em que sigo o esquema de cinquenta minutos por matéria e, em outros, dependendo da minha dificuldade e/ou nível de conhecimento, extrapolo esse tempo (às vezes, estudo uma matéria por umas duas horas).
          Beijocas!

          Responder
          • Diario de Concurseiro

            14 de setembro de 2016 at 15:33

            Exato!!

            Sou advogada também, e estudo pro TRT…
            Estou me organizando aqui com suas dicas, tentando me cadastrar no site do aprovadoapp… Está dando erro…

            Beijos

    • Diario de Concurseiro

      14 de setembro de 2016 at 14:45

      Uauuuuuuuuuu Sampaiooooooooooooo!!!!

      Você é coach??? Huahuauahuahuuhahua Suas palavras foram simplesmente fantásticas. Você parece saber EXATAMENTE TUDO o que venho sentindo (ok, eu posto tudo no blog… kkkk).
      Eu não tenho nem como agradecer todas as as suas dicas…. foram devidamente IMPRESSAS!!! Os aplicativos já foram baixados. E já estou indo cadastrar meu conteúdo, totalmente empolgadíssima com os futuros gráficos!!! DOPAMINAS em ação!!!

      Muito obrigado querida!!! Esse é justamente o intuito desse blog!! Ajudar e ser ajudada!!!

      Tenha certeza que você me ajudou e ajudou muito a todos que vão ler suas dicas, viu? E sem dúvida, essa ação retornará em dobro para você.
      Dúvida: você é concurseira?? rss

      Beijos empolgados!!

      Responder
      • Sampaio

        14 de setembro de 2016 at 15:41

        Hahahahahahahaha! Não sou coach não! Se for, sou coach de mim mesma.

        Ao ler seu blog, identifiquei-me bastante com algumas situações que você descreveu e, de certa forma, foi como se estivesse olhando para mim mesma, há não muito tempo atrás. Por isso, achei que as soluções que encontrei para mim, talvez pudessem ser úteis a você.

        Sim, sou concurseira também.

        Hoje de manhã, consegui enviar minha primeira redação para análise da professora Lilian Futado (www.gabaritandoredacao.com.br).

        Sempre me achei a fodona na escrita e em Português (geralmente, nem estudo Português quando vou prestar as provas de concursos da vida e, mesmo assim, tenho bom desempenho) e agora, estou “enfiando o rabinho entre as pernas”, pois quero fazer provas para Analista do TRE e sei que enfrentarei a banca mais temida: a FCC.
        Por isso, estou calçando as sandálias da humildade (hahahahahahaha!) e começando a treinar redação desde já.
        Ah! Também comprei o curso de Atualidades do professor (maravilhoso) Rodolfo Gracioli (http://www.rodolfogracioli.com.br/ e https://www.facebook.com/groups/AtualidadesComRodolfoGracioli/?fref=ts), já que, agora, as provas para nível superior, mesmo as voltadas para a área jurídica, resolveram cobrar “temas gerais”! Ai, ai, ai! Mas, como nós somos fodásticas, vamos conseguir arrebentar em tudo!

        Ah! Se te interessar ingressar no grupo do facebook do professor Rodolfo, basta pedir para ser adicionada.

        Depois, em outro momento, vou listar os perfis concurseiros que eu sigo e nos quais dou uma fuxicada quando deito para dormir ou em outros momentos “de folga”, e que me ajudam de várias maneiras: alguns são muito engraçados e me fazem dar altas gargalhadas (Félix Concurseiro: Perfil: https://www.instagram.com/felixconcurseiro/ Exemplo de post engraçado: https://www.instagram.com/p/BJWIGBBBBzf/?taken-by=felixconcurseiro), outros são cheios de dicas úteis (exemplo 1: https://www.instagram.com/concursandanotrt/ exemplo 2: https://www.instagram.com/projetokelauditora/) e outros instigam a minha competitividade (“olha o povo todo estudando e você ainda não marcou nenhum “X” no seu controle de estudos hoje”).

        Ah! Você verá uma galeeeeeera postando fotos de seus gráficos com as horas de estudo no aplicativo Aprovado! É ótimo para quem estuda em casa, online, se sentir inserido e próximo de pessoas – ainda que desconhecidas – que têm as mesmas metas.

        Cuidado! Acesse esses perfis com moderação! Nada de fazer como eu fazia no passado: ficar um dia inteirinho lendo as dicas, dando gargalhadas com posts engraçados (mas inúteis) ou invejando as coleções de canetinhas Stabilo dos concorrentes e sem estudar! É pra acessar só naqueles curtos espaços de tempo que já mencionei!

        Uma coisa que não mencionei: o comportamento procrastinador tem o mesmo mecanismo de funcionamento do vício. Qualquer vício. Imagine uma pessoa viciada em qualquer coisa: jogo, maratonas de séries na Netflix, drogas, sexo, álcool, cigarro etc. Se aquela pessoa consegue se abster de seu vício por um tempo, basta que ela tenha acesso ao objeto de seu vício por um momento que seja, para mergulhar novamente no comportamento adicto (viciado).

        No meu caso, tenho tendência a procrastinar e, como qualquer pessoa procrastinadora, naturalmente procuro prazeres imediatos: maratonas de séries na Netflix, ouvir música sem parar, ler tudo quanto é livro, assistir a todos os programinhas “mulherzinha” do GNT e por aí vai… Tudo, menos estudar.

        Ciente do meu comportamento autodestrutivo, autossabotador, esse ERA o meu comportamento! Eu não deixo mais “alguma coisa” tomar as rédeas da minha vida. Agora, eu é que determino como vai ser. E está sendo assim.

        Já sei que adoooooooro aqueles programinhas do GNT? Eu não fico sem assisti-los. Apenas só me permito ver ALGUNS deles no final de semana, e só depois de ter cumprido minha meta de estudos naquele dia.

        Já sei que adooooro Netflix e que, se deixar, eu entro madrugada adentro assistindo às séries e filmes? Agora só me permito assistir a dois episódios seguidos, no máximo, e isso só depois de ter batido a meta de estudos do dia.

        Já sei que sou capaz de ficar viajando um dia inteiro, olhando perfis concurseiros no Instagram? Só me permito acessar essa rede social em algumas daquelas situações que mencionei (fila do mercado, fila da farmácia etc. Isso porque, se a fila for grande, já acesso um aplicativo de resolução de questões e começo a resolver).

        É isso. Autoconhecimento é tudo! Não podemos ter medo de conhecer nossas fraquezas. Pelo contrário. Temos que conhecê-las para acabar com elas ou, pelo menos não deixar que elas mandem na nossa vida e no nosso futuro.

        Lembre-se sempre: você é foda e quem manda na p#$%@ toda é você! E isso não é automotivação barata. É a verdade. Só que no dia a dia temos que nos lembrar disso!

        Agora vou almoçar e, depois, voltar aos estudos.

        P.S.: Acabei de me dar conta de que estou escrevendo muitos palavrões no seu blog. Sorry! Vou tentar moderar meu “palavreado” nas próximas vezes!

        Beijocas empolgadíssimas!

        Responder
  2. Thaise

    16 de setembro de 2016 at 07:41

    Recomendo o app Faboulous. Não é app voltado a estudos, mas ensina a desenvolver bons hábitos em várias áreas. Mostra quais os truques para condicionar o cérebro a ter prazer por determinada atividade e consequentemente a incorporá-la em uma rotina. Se seguir à risca as tarefas que o app propõe certamente vai evitar essa constante autosabotagem que a mente provoca.

    Outro app interessante é o productivity challenge. Serve para produtividade em qualquer atividade e não só os estudos. É bem simples de usar, sem excesso de informações e funciona quase como um joguinho em que você alcance pequenos prêmios por se manter na linha kkk.

    Espero ter ajudado!

    Responder
    • Diario de Concurseiro

      16 de setembro de 2016 at 12:04

      Obrigado Thaise!!!

      E com esses pequenos artifícios, continuamos andando em direção ao nosso grande sonho!!

      Grandes beijos!!

      Responder

Leave a Reply

Cancelar resposta